Administração
Regional do Estado
do Rio Grande do Norte

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Programa paga mais de R$ 8,8 milhões a agricultores familiares em outubro

Cinco mil e seiscentas famílias de agricultores familiares venderam produtos para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), na modalidade Compra com Doação Simultânea, em outubro. No total, mais de R$ 8,8 milhões foram investidos pelo Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), para compra dos itens.

O PAA busca fortalecer as cadeias produtivas locais da agricultura familiar. Os produtos são destinados às pessoas em situação de insegurança alimentar, bem como àquelas atendidas pela rede socioassistencial, nos equipamentos públicos de segurança alimentar e nutricional - restaurantes populares, cozinhas comunitárias e bancos de alimentos - e nas instituições públicas ou filantrópicas de ensino.

Os recursos são depositados diretamente na conta bancária dos agricultores familiares, que podem sacar o dinheiro com cartão bancário específico do PAA ou utilizá-lo em operações de débito.

A diretora do Departamento de Apoio à Aquisição e à Comercialização da Produção Familiar do MDS, Denise Reif Kroeff, explica que a forma de operar o PAA garante mais segurança às transações comerciais das famílias.

Os pagamentos são feitos regularmente todo mês, o que permite que o agricultor receba o recurso, no máximo, 30 dias após cada entrega de produtos. A operação do programa também evita o desabastecimento das entidades que recebem os alimentos.

Fonte: Ministério do Desenvolvimento Agrário
Cadastro Ambiental Rural alcança 500 mil registros no país

O Cadastro Ambiental Rural (CAR) alcançou em outubro a marca de 500.113 registros de propriedades e posses rurais no país. O número representa cerca de 10% da meta total, que é de 5,2 milhões de cadastros até março de 2015.

A região Norte lidera o número de cadastramentos, com 174.093 registros, seguida pelas regiões Centro-Oeste (166.954), Sudeste (71.756), Sul (48.850) e Nordeste (38.460). Os dados são do Ministério do Meio Ambiente (MMA).

O Cadastro Ambiental Rural (CAR) é um registro eletrônico, obrigatório para todos os imóveis rurais. A partir dele, é formada uma base de dados estratégica para o controle, o monitoramento e o combate ao desmatamento das florestas e demais formas de vegetação nativa do Brasil, bem como para planejamento ambiental e econômico dos imóveis rurais.

Os produtores rurais devem ficar atentos ao prazo de inscrição no Sistema de Cadastro Ambiental Rural (Siscar) que vai até o mês de março de 2015. No momento do cadastro, o produtor identifica a localidade e as delimitações da propriedade e deve fornecer ainda imagens por satélite. Por isso, agricultores que não tiverem as informações necessárias para realizar o cadastro, devem procurar a ajuda de um técnico.

Para realizar o cadastro o produtor pode acessar o site para baixar o Módulo de Cadastro, preenche-lo e enviá-lo para análise por meio da internet.

Ministério da agricultura

Fonte:Ruralbr

Colheita de trigo avança com estoque remanescente da safra anterior

Com aproximadamente 300 mil toneladas de trigo da safra anterior ainda estocadas no Estado, o avanço da colheita do trigo começa a gerar preocupação tanto para produtores quanto para armazenadores. “Por mais que a safra deste ano não atinja o potencial esperado, o estoque do ano passado represado diminui a capacidade dos armazenadores. É mais um problema que produtores, cooperativas e cerealistas  precisarão  solucionar”, destacou o presidente da Comissão do Trigo da FARSUL, Hamilton Jardim.

As condições adversas que prejudicaram o plantio seguiram afetando negativamente a cultura ao longo de todo o ciclo, atrapalhando o manejo. Com isso, Jardim acredita que deva haver alguma dificuldade para separar o cereal de qualidade do de baixa qualidade em algumas regiões do Estado. O Rio Grande do Sul não teve seu produto no leilão de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor (Pepro), já que ainda há um volume muito baixo disponível, mas estará presente nas operações a partir de 30 de outubro. “Durante novembro devemos ter uma compensação em relação a volume e qualidade nos leilões da Conab”, afirmou Jardim. O dirigente acredita que através das operações do governo, o maior volume de trigo gaúcho deve ser comercializado no mês de novembro.

O primeiro leilão, realizado no dia 07 de outubro, que tinha produto do Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo, encontrou demanda para apenas 42,5% dos 160 mil toneladas ofertadas, restando 92 mil toneladas. O valor total da operação foi de R$ 9.246.655,34. O leilão do dia 16 do mesmo mês ofertou novamente 160 mil toneladas do cereal do Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo e negociou 94,17% deste total, com o valor da operação de R$ 19.881.447,35. No dia 23, outras 160 mil toneladas dos mesmos estados foram ofertadas. Destas, só houve demanda para 59,79%, com o valor total da operação de R$ 11.950.575,58.

Já no leilão do dia 30 de outubro, que contará com a participação de 100 mil toneladas do trigo gaúcho, serão ofertadas 206 mil toneladas da safra 2014/15 do Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Rio Grande do Sul.

FONTE: CANAL DO PRODUTOR

Brasil segue atraindo investimento internacional no agronegócio

De acordo com o Rabobank, o agronegócio brasileiro segue atraindo o interesse e o investimento de empresas estrangeiras. Segundo dados consolidados pela instituição financeira, nada menos que 60% das transações de fusões e aquisições no país assessoradas e concluídas por esse banco em 2013 foram realizadas com participação de companhias internacionais, principalmente as norte-americanas ou asiáticas. 

Em relação aos setores, 40% se referem a empresas de açúcar e etanol, 40% de grãos e 20% de proteína animal. Para o Rabobank, uma das razões que favorece o aumento nas transações com participação estrangeira é o bom modelo de negócio e profissionalização do setor, apesar das dificuldades logísticas e complexidade tributária. 

“As empresas brasileiras evoluíram muito em controles e governança nos últimos 10 anos. Isso é resultado do forte crescimento, do aumento da complexidade e da competição nos diversos setores do agronegócio, além do amadurecimento do empresariado”, explica Rodolfo Hirsch, especialista em Mergers & Acquisitions do Rabobank.

Segundo a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), no ano passado, aproximadamente 50% das transações de M&A no agronegócio brasileiro contaram com o envolvimento de investidores estrangeiros (relativas a empresas de proteína animal, bebidas, insumos, lácteos, grãos, açúcar e etanol, alimentos e mídia agrícola). Esse número sobe para 70% só no primeiro semestre deste ano – referentes a empresas de grãos e açúcar e etanol e a companhias de insumos agrícolas e alimentos.  

“O aquecimento pode ser visto nas diversas formas de aquisição e participação, pois ocorre em todos os setores do agronegócio e envolvem a entrada de players como tradings globais, sócios estratégicos e fundos de private equity. O segmento de fertilizantes líquidos, por exemplo, apresenta um crescimento expressivo. Mesmo sendo um nicho relativamente pequeno (apesar do alto investimento em tecnologia), ele vem atraindo muito o interesse de estratégicos e private equities”, aponta Hirsch.

Podem ser considerados também importantes motivos que refletem o crescimento do interesse internacional em empresas brasileiras: o desejo de estender a participação ao longo da cadeia de suprimento das principais commodities agrícolas, aumentar a diversificação geográfica, administrar o portfólio de commodities, assegurar canais proprietários de demanda e garantir o fornecimento de alimentos a longo prazo. 

“Os grandes players internacionais veem ótimas oportunidades no crescimento constante do agronegócio brasileiro. O Rabobank conhece muito bem o setor, que continua atraindo investimentos de todos os continentes. O banco tem presença em 47 países, o que facilita ainda mais todo o nosso suporte de M&A para clientes de dentro e fora do Brasil, que estão otimistas com o mercado nacional”, analisa Mark Abrams, responsável pela área de Mergers & Acquisitions do Rabobank na América Latina.

FONTE: AGROLINK

ÚLTIMO ÁLBUM

Bem Viver - Santana do Matos

29 de Outubro, 2014

Galeria completa

PREVISÃO DE HOJE

Natal
Rio Grande do Norte

Tempo Natal

MERCADO FINANCEIRO

COTAÇÃO DO BOI GORDO

ACOMPANHE AS NOVIDADES DO SENAR NAS REDES SOCIAIS