Produtora rural e ex-aluna do SENAR expõem na multifeira Brasil mostra Brasil

/Produtora rural e ex-aluna do SENAR expõem na multifeira Brasil mostra Brasil

Produtora rural e ex-aluna do SENAR expõem na multifeira Brasil mostra Brasil

Os cursos oferecidos pelo SENAR, além da assistência técnica, têm mudado a vida de muita gente que vive no campo. Prova disso são a produtora rural Maria José da Silva e a ex-aluna Ana Edileusa, moradoras do município de Pureza. As duas participaram da multifeira Brasil mostra Brasil, que é o maior evento do gênero no Norte e Nordeste.

Maria José era faxineira e há seis anos participou do curso de doces caseiros para aprender uma nova atividade. Mas o que antes era um hobby, hoje é o sustento da casa. Ela conta com a ajuda de familiares e vende, em média, 300 doces ao mês.

“A minha mãe era doceira e eu sempre quis fazer algo nessa área, mas confesso que no início eu era muito tímida. Concluí o curso e para ganhar uma renda extra, batia de porta em porta vendendo meus doces. Depois de um tempo tudo mudou na minha vida. Eu já participei de feiras em São Paulo, João Pessoa, Aracaju, Brasília, vendendo meus produtos, que são sucesso aonde eu vou”, afirmou.

Já Ana Edileusa faz parte do programa Sertão Empreendedor há cerca de dois anos e meio. Com a plantação de coco que tinha em casa, ela aprendeu a fazer óleo, farinha, cocada e vende tudo no comércio da região, além de cidades vizinhas.

“Estou começando agora nesse ramo, mas tem dado muito certo. Com o que sobrava do coco, eu tive a ideia de fazer o óleo, a farinha e vendo tudo rapidinho. As pessoas estão procurando e encomendando meus produtos. Por isso tive que aumentar a plantação para dar conta da demanda”, disse.

Além disso, a produtora rural vende as frutas que tem em seu quintal, como: jaca, mangaba, acerola, banana, caju, laranja, graviola, para programas do governo, feiras e escolas. Antes ela não sabia o que fazer e tudo se perdia.

“Eu sou muito grata a todos do SENAR, pois eu não sabia que poderia ganhar dinheiro com o que tinha em casa. Depois que conheci os técnicos e educadores, minha vida mudou. Eles me incentivaram, abriram minha cabeça, me ensinaram e é por isso que o nome de uma das minhas marcas é Óleo de Coco dos Anjos, em homenagem a eles”, completou.

2018-09-21T09:39:43+00:00setembro 7th, 2018|Categories: blog, Notícias FAERN/SENAR, slider|